Loading...

Apesar das dificuldades Jaqueline Adora a Deus com todo o seu Amor!

domingo, 8 de junho de 2014

Você viajaria da China a Bangladesh por um abraço?

Sheng*, um colaborador da Portas Abertas, visitou recentemente um grupo de centenas de obreiros que pertencem à maior rede cristã na China. Ele ficou profundamente tocado pelo que viu. "Eles têm pouca informação sobre a Igreja Perseguida, mas oram dia e noite"
Foto_Noticia.jpg 
Agora que a Igreja chinesa experimenta muito mais liberdade do que no passado, um dos maiores projetos é a criação de treinamentos entre os chineses Han**. "Minha reunião com eles me deu inúmeras percepções", disse Sheng. "Nós trabalhamos com cinco níveis de treinamentos: informação interesse, inspiração, envolvimento e engajamento. Contudo, o que descobri foi que há muitos líderes cristãos na China que já oram pela Igreja Perseguida. Embora tenham pouca ou nenhuma informação, eles ajudam em oração. Cheguei à conclusão de que muitos colocariam suas vidas em risco pelos irmãos e irmãs da Igreja Perseguida, mas eles não têm ideia de como se envolver".
O grupo que Sheng conheceu é um claro exemplo. "Eles sabiam pouco sobre a Igreja Perseguida. Porém, eu pude ver uma determinação dada por Deus em seus olhos. Eles diziam: ‘Nós fomos chamados para orar’. Então todo mês eles oram e jejuam durante dois dias. Eles têm também selecionado intercessores por algum país especifico que Deus tenha colocado em seus corações. Eles dizem que quanto mais oram por determinado país, mais ficam apaixonados por ele. Para eles, é a forma que encontraram de apoiar os membros de sua família na fé".
Deus usa essas vigílias de oração para inspirar os cristãos chineses a se envolverem com a Igreja Perseguida em outros países também. "Eu falei com a irmã Da-Xia*. Enquanto ela estava orando, o Espírito Santo a desafiou a visitar uma missionária em Bangladesh. Isso aconteceu no ano passado, quando houve uma séria epidemia de dengue em Bangladesh e também um levante político.

Ela questionou a Deus e deu algumas desculpas a ele. Então Deus a respondeu: ‘Você iria por sua irmã em Cristo? ’. Ela respondeu: ‘Sim, Senhor, eu iria a qualquer lugar por minha irmã’. E Deus a respondeu: ‘Você iria por minha filha?’. Ela respondeu que ‘sim’. Então ela perguntou quantas pessoas gostariam de ir com ela e seis pessoas responderam positivamente".
Não havia líderes entre esses seis e Da-Xia começou a duvidar. Ela tinha realmente entendido a voz de Deus? Se sim, porque os líderes chave não se engajaram nessa viagem? "Mas Deus lhe disse que ele selecionou os seis porque eles estavam comprometidos a orar por Bangladesh. O grupo estava muito amedrontado para ir. Como eles poderiam se proteger dos ataques mortais daquele mosquito? Todos escreveram seus últimos desejos porque estavam com a expectativa de que morreriam em Bangladesh. A irmã Da-Xia lhes disse que somente o amor de Deus poderia derrotar o medo deles, e uma vez que tivessem lidado com isso, eles poderiam enfrentar a morte sem medo nenhum."
Em Bangladesh ninguém ficou doente, mas o Espírito Santo fez mais do que protegê-los das ameaças. Quando eles se encontraram com a missionária, descobriram que ela se sentia solitária e rejeitada. "Deus disse à irmã Da-Xia que abraçasse a jovem missionária. É preciso entender que isso é totalmente fora do padrão cultural chinês. As pessoas não se abraçam. Mas ela o fez e esse gesto significou muito para a missionária. Foi como se os sentimentos de solidão e rejeição tivessem desaparecido. Seu coração endurecido amoleceu".
A reunião com a irmã Da-Xia e com outros obreiros deu a Sheng um enorme impulso de confiança. "É maravilhoso ver como Deus trabalha e como ele usa a Igreja chinesa nos ministérios de oração e presença. Isso nos mostra que precisamos continuar a criar treinamentos entre os cristãos chineses e a dar a eles ferramentas para se envolverem. Deus tem um grande plano para a Igreja chinesa".
*Nomes alterados por motivos de segurança.
** A maioria dos chineses (90%) pertence à etnia Han. Os outros 10% pertencem a outras minorias.

Nenhum comentário:

Postar um comentário