Loading...

Apesar das dificuldades Jaqueline Adora a Deus com todo o seu Amor!

domingo, 24 de abril de 2011

Deus está no controle de tudo!!!

 
Emy era uma linda menina de 3 aninhos de idade.
Ela morava em algum lugar dos EUA, em frente ao mar.
Sua família era cristã.
Eles iam todos os domingos à igreja e faziam culto doméstico...
Emy era muito feliz!
Ela amava sua família e admirava os olhos azuis de seu pai, sua mãe e
seus irmãos.
Todos na casa de Emy tinham olhos azuis. Todos...MENOS Emy!!!
O sonho de Emy era ter olhos azuis como o mar... Ah! como Emy desejava
isso!!!!

Um dia, na escola dominical, ouviu a "tia" dizer:
"DEUS RESPONDE A TODAS AS ORAÇÕES!"
Emy passou o dia todo pensando nisso...
À noite, na hora de dormir, ajoelhou ao lado da sua cama e orou:
"Papai do Céu, muito obrigada porque você criou o mar que é tão bonito!
Muito obrigada pela minha família. Muito obrigada pela minha vida!
Gosto muito de todas as coisas que você fez e faz!
Mas...gostaria de pedir...por favor... quando eu acordar amanhã, quero ter
olhos azuis como os da mamãe!
Em nome de Jesus, amém."
Ela teve fé. A fé pura e verdadeira de uma criança. E, ao acordar, no dia
seguinte, correu para o espelho. Olhou...e qual era a cor de seus
olhos?...
CONTINUAVAM CASTANHOS!!

Por que Deus não ouviu Emy? Por que não atendeu ao seu pedido?
Isso teria fortalecido sua fé?
Bem...naquele dia, Emy aprendeu que NÃO também era resposta!
A menininha agradeceu a Deus do mesmo modo... mas...não entendia...só
confiava.
Anos depois, Emy foi ser missionária na Índia.
Ela "comprava crianças para Deus" (as crianças eram vendidas por suas
familias que passavam fome para serem sacrificadas no templo, e Emy as
"comprava" para libertá-las desse sacrifício).
Mas, para poder entrar nos "templos" da Índia, sem ser reconhecida como
estrangeira, precisou se disfarçar de indiana:
passou pó de café na pele, cobriu os cabelos, vestiu-se como as mulheres
do local e entrava livremente nos locais de venda de crianças.
Emy podia caminhar tranqüila em todo "mercado infantil", pois aparentava
ser uma indiana.
Um dia, uma amiga missionária olhou para ela disfarçada e disse:
"Puxa, Emy! Você já pensou como você faria para se disfarçar se tivesse
olhos claros como os de todos da sua família?
Que Deus inteligente nós servimos...
Ele lhe deu olhos bem escuros, pois sabia que isso seria essencial para
a missão que lhe confiaria depois!!!"
Essa amiga não sabia o quanto Emy havia chorado na infância por não ter
olhos azuis...
Mas Emy pôde, enfim, entender o porquê daquele não de Deus há tantos
anos!
Bem...o que eu queria dizer com essa longa e bonita história?
Apenas dizer que DEUS ESTÁ NO CONTROLE DE TUDO!!!
Ele conhece cada lágrima que já rolou do canto dos seus olhos...
Ele sabe que, talvez, você quisesse ''olhos de outra cor''...
Ele ouve, sim, TODAS as orações...
Mas Ele as responde de modo sábio!
Não precisa chorar se seus olhos continuam castanhos...
ou se você ainda não foi atendida(o) como gostaria.
DEUS TEM O CONTROLE DE TUDO!!!
Tenha sempre esta certeza no seu coração!!

segunda-feira, 18 de abril de 2011

A Páscoa e o Ovo de Galinha


Próximo da Páscoa, o professor de Ciências de uma escola inicia a sua aula com a seguinte frase "A historia da Páscoa e um mito". "Jesus não saiu do tumulo," continuou, "mas, primeiramente, não existe nenhum Deus no céu que possa permitir que seu filho seja crucificado."

"Senhor, eu acredito em Deus", Jimmy  protestou. "E eu acredito que ele ressuscitou!"

"Jimmy, você pode acreditar no que você quiser, e  claro," o professor respondeu. "Porem, no mundo real não existe a possibilidade de tais milagres, como a ressurreição. Ninguém que acredite em milagres pode respeitar a ciência."

"Deus não é limitado pela ciência," Jimmy respondeu. "Ele criou a ciência!"

Incomodado com o modo como Jimmy defendia sua fé, o professor propôs um experimento cientifico. Foi ate a geladeira e pegou um ovo de galinha.

"Eu vou deixar este ovo cair no chão," começou o professor. "A gravidade vai fazer com que ele caia no chão e se despedace. "Olhando fixamente para Jimmy, ele continuou: "Agora, Jimmy, eu quero que você faca uma oração e peça ao seu deus para que quando eu soltar este ovo ele não caia no chão e se quebre. E se ele conseguir fazer isto, você terá provado que Deus existe, e eu terei que admitir isso."

Apos pensar por um momento sobre o desafio, Jimmy lentamente começou sua oração. "Querido Pai celeste," ele iniciou. "Eu peço que quando o meu professor soltar este ovo... ele caia no chão e se quebre em uma centena de pedaços! E também, Senhor, eu peço que quando este ovo quebrar, meu professor tenha um ataque cardíaco fulminante e morra. Amem."

Após os cochichos da classe, veio um silencio fúnebre. Por um momento o professor não fez nada. E por fim ele olhou para o Jimmy e depois para o ovo. E, sem dar uma palavra, ele cuidadosamente devolveu o ovo na geladeira. "Classe dispensada" disse o professor enquanto sentava na sua cadeira.
O professor aparentemente acreditava mais em Deus do que ele mesmo imaginava. Muitas pessoas são como este professor nega que Deus existe, mas correm para ele nos momentos difíceis. Porem questiona, e o atacam todas as vezes que tem chance. Jimmy sabia que Deus não iria matar o seu professor naquele momento, mas também sabia que seu professor não apostaria sua vida por um ovo.

Quando sua vida está em jogo a idéia de que Deus existe parece fazer mais sentido.

João 10:11 "Eu sou o bom pastor. O bom pastor dá a vida pelas ovelhas."

Nesta data especial, comemoramos o sacrifício de Cristo na Cruz por nos, deu-nos a chance de termos uma nova vida, remiu todos os nossos pecados, lembre-se sempre da real data da Páscoa, pois Ele esteve na Cruz por mim e por você, por amor e porque nos quer junto dEle. Obs. (Esta mensagem foi recebida da Vida. net) PALAVRA DIVINA o seu portal Cristão.


domingo, 17 de abril de 2011

A QUE REINO VOCÊ PERTENCE?















"Porque fostes comprados por preço; glorificai pois a Deus no vosso corpo"     (1 Coríntios 6.20).
Guilherme II, imperador alemão, viajando certa ocasião em visita a uma das mais afastadas províncias dos seus domínios, achou por bem interromper a viagem por algumas horas e visitar os alunos de uma pequena escola instalada à beira da estrada, na zona rural. Os alunos o receberam com emoção, respeito e acatamento. No meio de tanto entusiasmo e espontaneidade, até um discurso surgiu de improviso para saudar tão ilustre visitante. O imperador estava surpreso e feliz.
Observando que toda a classe era viva, inteligente e desinibida, sentiu-se muito à vontade no meio dos alunos. Depois de ouvi-los cantar, declamar, discursar, desejou divertir-se também um pouco com as crianças. Assim, incumbiu o seu secretário de apanhar uma laranja no meio da bagagem. Segurando-a numa das mãos, ele perguntou ao grupo:
- Qual de vocês seria capaz de me responder a que reino pertence esta fruta que tenho na mão?
- Ao reino vegetal - acudiu imediatamente uma garota risonha, de olhos brilhantes e muito comunicativa.
- Surpreendente! - exclamou o visitante - Bem, já que você respondeu com tanta precisão à pergunta que fiz, vou fazer-lhe uma vantajosa proposta: tenho ainda mais duas perguntas, que desejo também respostas corretas e ¡mediatas. Se me responder com exatidão, sem hesitar, dou-lhe uma medalha como prêmio. Aceita o desafio?
- Aceito, sim senhor - respondeu a garota, prontamente.
Então, metendo a mão no bolso da sua farda, tirou uma moeda e mostrando-a, indagou:
- E esta moeda, pertence a que reino? É capaz de responder?
- Ao reino mineral - disse a menina.
- E eu, a que reino pertenço? - continuou Guilherme II.
Houve um rápido momento de silêncio. Os colegas se entreolharam e a garota perdeu o sorriso alegre. Ficou séria e constrangida. É que a pequena teve medo de ofender o imperador, dizendo-lhe pertencer ao reino animal... Puxa! - pensou ela. Mas perder a medalha é que não me agrada nem um pouco. Então, de repente, uma resposta lhe veio à mente e o bonito sorriso iluminou seu rostinho. E ela, vitoriosa, respondeu:
- O senhor pertence ao reino de Deus!
Professora, colegas e toda a comitiva que acompanhava o imperador não sabiam que admirar mais: se a engenhosa e verdadeira resposta cristã que a menina deu, ou se a nobre atitude do Kaiser que, entregando o prêmio com voz embargada, acrescentou profundamente emocionado:
- Que seja eu digno desse reino, minha filha!

SETE “EU SOU” DE CRISTO NO EVANGELHO DE JOÃO João 8:58


1. “Eu sou o pão da vida e o que vem a mim nunca terá fome” (Jo 5:35). Jesus é o pão para os famintos espirituais.
2. “Enquanto estou no mundo, sou a luz do mundo” (Jo 9.5). Jesus é a luz para os cegos espirituais.
3. “Eu sou a porta, se alguém entrar por mim, salvar-se-á, e entrará e sairá, e achará pastagem” (Jo 10.9). Jesus é a porta da salvação. A Bíblia não diz que Ele é uma das portas; porém que é a única porta para os céus.
4. “Eu sou o bom Pastor; o bom Pastor dá a sua vida pelas ovelhas” (Jo 10.11). Jesus é o pastor para as ovelhas perdidas neste mundo.
5. “Disse-lhe Jesus: Eu sou o caminho, e a verdade, e a vida, ninguém vem ao Pai senão por mim” (Jo. 14.6). Para os ignorantes, para os que não sabem para onde vão, Jesus Cristo é o caminho.
6. “Disse-lhe Jesus: Eu sou a ressurreição e a vida; quem crê em mim, ainda que esteja morto viverá” (Jo 11.25). Para os mortos em seus delitos e pecados Jesus é a ressurreição (Ef. 2.1).
7. “Eu sou a videira verdadeira, e meu Pai é o lavrador” (Jo 15.1). Para o cristão que não dá fruto, Jesus é a videira verdadeira. Há muitos que estão procurando ser videira, quer dizer, ser o dono da verdade, porém somente há uma videira verdadeira e esta é Cristo.

domingo, 10 de abril de 2011

Só a Cruz pode definir o que é Amor



"nisto conhecemos o amor, em que Cristo deu a sua vida por nós" (3:16). A maioria das pessoas não teria dificuldade alguma em nos dizer o que pensa ser o amor. Podem saber que já se escreveram livros com o propósito de distinguir entre diferentes tipos de amor, como o Agape e Eros de Anders Nygren, e Os Quatro Amores de C. S. Lewis. Entretanto, diriam que o significado do amor se evidencia por si mesmo. João, porém, discordaria dessas pessoas. Ele ousa dizer que, sem Cristo e sua cruz, o mundo jamais teria conhecido o verdadeiro amor. É claro que todos os seres humanos experimentam certo grau ou qualidade de amor. Mas João está dizendo que apenas um ato de amor puro, não manchado por alguma nuança de segundos motivos, foi praticado na história do mundo, a saber, o amor de Deus que se deu a si mesmo em Cristo na cruz por pecadores que não o mereciam. É por isso que, se estamos procurando uma definição de amor, não devemos ir ao dicionário, mas ao Calvário.

O segundo versículo de João é ainda mais preciso. "Nisto consiste o amor, não em que nós tenhamos amado a Deus, mas em que ele nos amou, e enviou o seu Filho como propicião {Hilasmos) pelos nossos pecados" (4:10). Na passagem do capítulo 3 de Romanos que estamos estudando, Paulo toma a natureza propiciatória da cruz (hilasterion) como demonstração da justiça divina; aqui João a vê como a mani¬festação do amor dele. E ambos. O verdadeiro amor é de Deus, não nosso, e ele o manifestou entre nós (v. 9) enviando seu Filho unigênito ao mundo para que morresse por nós e pudéssemos viver por meio dele. As duas palavras "viver" (v. 9) e "propiciação" (v. 10) traem a extremidade de nossa necessidade. Por sermos pecadores, merecemos morrer sob a justa ira de Deus. Mas Deus enviou o seu único Filho, e ao enviá-lo, ele mesmo veio a fim de morrer a morte e levar a ira em nosso lugar. Foi um ato de puro e imerecido amor.

Aprendemos com João, portanto, que embora neste mundo nossa atenção seja constantemente levada para os problemas do mal e da dor, os quais parecem contradizer o amor de Deus, seria prudente não deixarmos que tais coisas nos desviem da cruz, onde o amor de Deus se manifestou pública e visivelmente. Se a cruz pode ser cha-mada de "tragédia", foi uma tragédia que ilumina todas as outras.

Paulo também escreve acerca do amor de Deus na primeira metade do capítulo 5 de Romanos. O apóstolo se refere a ele duas vezes, provendo-nos, assim, dois modos complementares de adquirirmos a certeza da sua realidade. O primeiro é que "o amor de Deus é der¬ramado em nossos corações pelo Espírito Santo, que nos foi outor¬gado" (v. 5). O segundo é que "Deus prova o seu próprio amor para conosco, pelo fato de ter Cristo morrido por nós, sendo nós ainda pecadores" (v. 8). Um dos aspectos mais satisfatórios do evangelho é o modo pelo qual une o objetivo ao subjetivo, o histórico ao ex¬perimental, a obra do Filho de Deus à obra do Espírito de Deus. Podemos saber que Deus nos ama, diz Paulo, tanto porque ele provou o seu amor na história através da morte do seu Filho, como porque continuamente o derrama em nossos corações por meio da habitação do Espírito em nós. E embora nos concentremos, como faz Paulo, na demonstração objetiva do amor de Deus na cruz, não nos esquece¬remos de que o Espírito Santo confirma esse testemunho histórico por intermédio de seu próprio testemunho interior e pessoal, à medida que inunda os nossos corações com o conhecimento de que somos amados. É algo similar à nossa experiência de o Espírito Santo testificar com o nosso espírito que somos filhos de Deus — um testemunho que ele dá quando, ao orarmos, nos capacita a clamar: "Abba, Pai", porque então sabemos que somos os filhos justificados, reconciliados, redimidos e amados de Deus {Romanos 8:15-16).

Por causa da cruz, porém, "Deus prova o seu próprio amor para conosco" (Romanos 5:8). É o seu próprio amor, sui generis, pois não há outro amor como o dele.

sábado, 2 de abril de 2011

A BÍBLIA FUNCIONA


A Bíblia funciona
Um medico cristão estava lendo sua Bíblia assentado num banco da praça, quando um senhor se aproximou e reconhecendo o médico disse:
- Não posso crer que o senhor, com sua cultura, consiga ler e acreditar num livro como esse!
- Por quê? Perguntou o médico.
- Por que nem sabemos quem escreveu este livro. Eu não acredito numa coisa que nem sequer saiba quem escreveu.
O medico olhou fixamente para o homem e perguntou-lhe:
- O senhor acredita e usa a tabuada?
- Sim. uso-a freqüentemente.
O senhor sabe quem escreveu a tabuada?
- Não, não sei, respondeu o incrédulo.
- Como é então que o senhor acredita e usa algo que o senhor nem sequer sabe quem escreveu? Perguntou-lhe o médico.
O homem embaraçado teve uma idéia brilhante e respondeu:
- É que a tabuada funciona, e tudo mundo sabe disto.
- Meu amigo, disse o médico, a Bíblia também funciona muito bem.
E eu poderia mostrar centenas de pessoas que tiveram suas vidas modificadas pela Palavra de Deus. Seus ensinos são vida para quem os coloca no coração.